Concerto de Natal na EB de Mirante de Sonhos

Concerto de Natal na EB de Mirante de Sonhos

Desde há cinco anos que é assim. Os alunos, professores, educadores e auxiliares da Escola Básica Mirante de Sonhos, trabalham em equipa para dar corpo ao projeto “Cantar Sonhos”. O grupo coral, que integra os cerca de 250 alunos da escola, dos três aos 10 anos, realizou nos  dias 14 e 15 de dezembro duas atuações, que juntaram mais de 500 pessoas na assistência, desde pais e encarregados de educação até familiares.

Os concertos, explica Neuza Pinto, uma das coordenadoras do projeto, têm sempre vertente solidária. Já ajudaram instituições que apoiam sem abrigo e crianças carenciadas e famílias afetadas pelo sismo no Nepal (há quatro anos). Este ano o apoio foi para animais de rua, tendo sido recolhidos comida e cobertores, entre outros.

“QUEREMOS CRIAR MEMÓRIAS E FAZÊ-LOS SENTIR QUE ISTO É UMA FAMÍLIA”

Os concertos, de cerca de uma hora e com direito a uma encenação teatral, surgem como o culminar de cerca de dois meses de trabalho.

“Tudo começou há cinco anos no Concerto de Natal e todos os espetáculos têm uma vertente solidária”, explica a coordenadora do projeto. “Queremos incutir nas crianças valores e sentimentos de solidariedade numa altura em que, cada vez mais, cada um olha apenas para o seu umbigo. É educação cívica e os alunos têm oportunidade de relacionar-se”, salienta Neuza Pinto.

Todos os anos o projeto se renova pelos bons resultados alcançados. E este ano não foi exceção. Na quinta e na sexta-feira os 250 alunos encheram o palco no musical “Um Natal para Amar”. “Ensaiar 250 crianças não é fácil, mas faz-se com vontade e amor à camisola. Foi muito compensador, fiquei emocionada. É gratificante ver o resultado”, diz Neuza Pinto.

Segundo a docente, os professores e auxiliares dedicam o seu tempo à causa e, muitas vezes, trabalham até mais tarde para tudo funcione. “Trabalha-se em equipa”, garante, caracterizando a EB Mirante de Sonhos como “uma escola de afetos”.

“Os professores do ensino primário são os que mais marcam as crianças. Queremos criar memórias e fazê-los sentir que isto é uma família”, afirma a coordenadora do “Cantar Sonhos”.

Entre os sonhos, a concretizar já em 2018, está a repetição de um espetáculo com as crianças ao ar livre. “Há quatro anos fizemos um concerto ao ar livre no parque urbano de Ermesinde e angariamos fundos para as pessoas que tinham sido afetadas pelo sismo no Nepal (cerca de dois mil euros). Foi fabuloso, tivemos mais de 1.000 pessoas a assistir e ainda hoje nos falam nesse concerto. Em 2018, vamos repetir a experiência, em junho, no final do ano letivo”, adianta.


As nossas escolas

Escoa Básica de São Lourenço

Arquivo de notícias

Procurar

Dezembro 2017
S T Q Q S S D
« Nov   Jan »
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031